Conheça os melhores destinos brasileiros para quem gosta de Arquitetura



Conheça os melhores destinos brasileiros para quem gosta de Arquitetura

Museus antigos, palácios e, até mesmo, castelos fazem parte dos cenários brasileiros, e porque não aproveitar essas férias para conhecê-los? Afinal, por meio de construções históricas, conseguimos aprender um pouco da cultura e política de uma determinada região, além de descobrir inúmeros conceitos dentro da arquitetura e engenharia.

Por isso, separamos alguns tesouros incríveis espalhados pelo País, englobando quatro cidades diferentes: Fortaleza, Recife, São Paulo e Rio de Janeiro. Confira:

Mausoléu Castelo Branco (Fortaleza)

Inaugurado na década 1970, em homenagem ao ex-presidente Humberto de Alencar Castelo Branco, o Mausoléu tornou-se um cartão postal da Capital cearense por ser uma obra interessante da arquitetura moderna, com uma grande estrutura em balanço que pousa sobre um espelho d’água.

É importante ressaltar que o edifício faz parte do conjunto arquitetônico do Palácio da Abolição, antiga sede do Governo do Estado. Nele, também podemos encontrar mais três espaços: o Palácio de Despachos e residência oficial do governador, o bloco administrativo e a Capela. Não deixe de ver, pelo menos externamente, todos os blocos.



Instituto Ricardo Brennand (Recife)

Embora Recife tenha se modernizado e seja possível ver vários condomínios luxuosos na orla da praia, a cidade ainda guarda muito da sua história no Instituto Ricardo Brennand (IRB), que é uma galeria de arte com o exterior semelhante a um castelo. O local dispõe de quatro prédios com estilo medieval: Museu Castelo São João, Pinacoteca, Galeria e a Capela Nossa Senhora das Graças, rodeados por um vasto parque.

Em cada um desses ambientes é possível explorar coleções permanentes de objetos artísticos de diversas procedências, mostrando algumas documentações históricas e iconográficas relacionadas ao período colonial. De modo geral, o acervo do instituto é composto pelos núcleos de armaria, artes decorativas, tapeçaria, esculturas, mobiliário e peças visuais.



Pinacoteca do Estado de São Paulo (São Paulo)

Indo um pouco mais para o Sul do País, encontramos um edifício grandioso construído no final século XIX: a Pinacoteca do Estado de São Paulo. Com um estilo neoclássico, o espaço é um museu de artes visuais com foco na produção brasileira, no qual apresenta mais de dez mil peças dos séculos XIX e XX. Entre elas se destacam peças de duas coleções: Nemirovsky, com um expressivo conjunto de obras-primas do modernismo brasileiro, e Roger Wright, um recorte de 80 itens produzidos entre as décadas de 1960 e 1970 pelos artistas mais representativos da nova figuração, como Wesley Duke Lee, Claudio Tozzi e Antonio Dias. Não é à toa que a Pina, como também é conhecida a instituição, seja considerada como o museu mais antigo da região.

Além dos artefatos nacionais, também podemos visitar o incrível jardim botânico e saborear pratos gastronômicos no ambiente subterrâneo do local. Esta é, sem dúvida, uma experiência incrível para os amantes da arquitetura.



Museu do Amanhã (Rio de Janeiro)

Como se não bastasse ter o Cristo Redentor em seu cenário, o Rio de Janeiro ainda detém o Museu do Amanhã. Construído há pouco mais de um ano, o prédio tem um estilo contemporâneo muito próprio, característico do arquiteto espanhol Santiago Calatrava, responsável pelo projeto. Inclusive, suas formas e curvas orgânicas são inspiradas nas bromélias do Jardim Botânico do Estado, fazendo com que o edifício tenha uma área de 15 mil metros quadrados rodeada de espelhos d’água.

Diferente de instituições “tradicionais”, o local tem como proposta ser um museu de artes e ciências, além de contar com mostras que alertam sobre os perigos das mudanças climáticas, da degradação ambiental e do colapso social. Em sua estrutura física, por exemplo, o monumento conta com espinhas solares que se movem ao longo da claraboia, projetada para adaptar-se às mudanças das condições ambientais.



INBEC

Pós-Graduação

Educar, formar e preparar Profissionais dentro das normativas aplicáveis ao ensino superior.