8 invenções feitas por mulheres que mudaram o mundo



8 invenções feitas por mulheres que mudaram o mundo
Jane Peyton (Foto: Hypeness/Reprodução)


O primeiro programa de computador, a tecnologia Wi-Fi, os painéis solares e até o bote salva-vidas foram criações feitas por mulheres que superaram as limitações impostas pelas culturas e até leis vigentes e se imortalizaram com invenções verdadeiramente revolucionárias – e muitas permanecem pouquíssimo reconhecidas.


 

1.    Cerveja

 

A historiadora e sommelier de cerveja inglesa Jane Peyton – autora de três livros sobre a bebida e um sobre pubs ingleses – revela que até menos de dois séculos atrás, cerveja era, em todos os sentidos, coisa de mulher.

 

A conclusão veio após anos de extensa pesquisa para o desenvolvimento de um novo livro. Segundo Peyton, de modo geral e nas regiões mais diversas do mundo a cerveja era vista desde sua criação como um alimento – uma parte do cardápio que, logo, era também parte das ditas “tarefas domésticas” reservadas às mulheres.

 

Mais do que uma criação feminina, a feitura da cerveja foi por séculos tarefa exclusiva das mulheres. O que inicialmente era visto como um afazer da casa, rapidamente se tornou uma especialidade muito apreciada – e em pouco tempo a cerveja passou a ser uma bebida feita por mulheres também pelo fato delas conhecerem os segredos das diversas receitas e basicamente fabricarem uma bebida melhor.

 

A pesquisa de Peyton remete há cerca de 10 mil anos, e confirma que se temos por todo o mundo tantas refinadas variações de sabores da bebida, isso se deve ao trabalho feminino. Na Mesopotâmia e na Suméria há pelo menos 7 mil anos eram justamente esses conhecimentos especiais e exclusivos que faziam da cerveja uma invenção exclusivamente das mulheres, que também tinham o monopólio da administração das tabernas – sim, os bares da época eram lugar “de mulher”.

 

Não é por acaso que, de modo geral, nas sociedades antigas a cerveja era considerada um presente de uma deusa – e nunca de um deus masculino.

 
Arte egípcia mostrando mulheres servindo cerveja. (Imagem: Hypeness/Reprodução)
 

A cerveja dos vikings era feita por mulheres em torno do século 8 antes de Cristo, e da mesma forma em todas as sociedades do norte da Europa. Na Inglaterra as mulheres faziam a bebida em casa, e a vendiam como um meio de incrementar o orçamento familiar – eram conhecidas como “Alewifes”, ou esposas-Ale.

  


2.    Software de Computador


Grace trabalhando em um dos supercomputadores que programava. (Foto: Computer History Museum)

 

Grace Murray Hopper conquistou títulos como “a incrível Grace Hopper”, “Rainha da Computação”, “Rainha da Codificação”, “vovó do COBOL” e “Grande Dama do Software”.

 

Hopper foi uma analista de sistemas da Marinha dos Estados Unidos nas décadas de 1940 e 1950, e enquanto atuava por lá desenvolveu a linguagem de programação Flow-Matic, que foi a primeira delas a ser adaptada para o idioma inglês.

 

Essa linguagem, apesar de já extinta, serviu como base para a criação do COBOL (Common Business Oriented Language) – usado até os dias de hoje em processamento de bancos de dados comerciais. E, por isso, mesmo que ela não tenha participado efetivamente da criação dessa linguagem de programação, Grace Hopper ficou conhecida como a “vovó do COBOL” por ter desenvolvido a base para sua criação.

 

Por conta de sua relevância, Hopper foi convidada para integrar o subcomitê que desenvolveu as especificações da linguagem COBOL em uma reunião que aconteceu em 1959 no Pentágono. Além da analista da Marinha, fizeram parte do comitê outras seis pessoas: dois especialistas da IBM, outros dois da RCA e mais dois da Sylvania Electric Products.

 


(Imagem: NMAH Archives Center. Grace Murray Hopper Collection. 1947)
 

Grace Hopper também é apontada como a autora do termo “bug”, que usamos até os dias de hoje para designar uma falha em códigos-fonte. A invenção do termo teria surgido quando Grace tentava encontrar onde estava um problema em seu computador. Quando o descobriu, ela teria visto um inseto morto dentro da máquina – e acabou chamando o problema de “bug” que, em português, significa “inseto


  

3.    Bote Salva Vidas

 

(Foto: O Explorador/Reprodução)
 

Maria Beasley (21 de maio de 1817 – Nova Jersey, 15 de dezembro de 1891), foi uma inventora e empreendedora americana quem inventou o bote salva-vidas moderno, compacto, à prova de fogo, de fácil e eficiente uso, com placas de metal capazes de boiar e navegar por longas distâncias de forma realmente segura.

 

Em 1882, Maria Beasely pensou que era hora de as pessoas deixarem de morrer tragicamente em acidentes marítimos e inventou os botes salva-vidas que, juntamente com a máquina de fazer barris, a fez realmente muito rica.

 

Em meados do século XIX, um bote salva-vidas não era muito mais do que uma placa de madeira com remos para se escapar de um navio afundando.

 

A eficácia de sua invenção foi comprovada de forma extrema quando do desastre do Titanic, no qual seu bote evitou centenas de mortes.


   

4.    Wireless

 


Cena do documentário Bombshell: The Hedy Lamarr Story. (Imagem: Showmetech/Reprodução)

 

“A mulher mais linda do mundo”. A frase usada para se referir a atriz Hollywoodiana Hedy Lamarr acabava por reduzi-la à apenas sua aparência física, coisa que ainda acontece com todas as mulheres.

 

Mas Lamarr, assim como milhares de mulheres, mostrou que é muito mais do que a limitação de “um rostinho bonito”.

 

Essa mulher fantástica não fez nada mais, nada menos do que criar a tecnologia necessária para a existência do Wifi, do bluetooth e dos celulares.

 

Mesmo em meio ao conceito moderno de supermulher (mãe, esposa e com uma profissão), ela foi além: mediante ao tédio das obrigações sociais e de sua profissão, Hedy simplesmente inventou a tecnologia responsável pela existência dos celulares que conhecemos hoje.

 

Lamarr inventou e patenteou um método de transmissão de sinais de rádio, o FHSS (Frequency Hopping Spread Spectrum, ou o espectro de difusção de frequência variável). Na época, a invenção contribuiu para o sistema de comunicações das forças armadas dos EUA e, posteriormente, para os telefones celulares e Wifi.


  

5.    Painéis Solares

 


(Foto: Wikimedia Commons)

 

Atualmente, a energia solar é uma aposta de energia renovável para substituir as fontes fósseis que utilizamos. Em 1947, a biofísica conhecida como “The sun queen” (A rainha do sol), Maria Telkes, inventou a primeira casa com sistema de aquecimento solar junto da arquiteta Eleanor Raymond. Além disso, Telkes criou o gerador e refrigerador termoelétricos.

 

Telkes apresentou interesse pela área ainda durante o ensino médio, dando continuidade durante sua graduação, na Universidade de Budapeste. A pesquisadora trabalhou por 14 anos no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), realizando avanços importantíssimos no estudo da energia solar.


  

6.    Algoritmo

 


(Imagem: Olhar Digital/Reprodução)
 

Augusta Ada King, nascida em 1815 com o nome Augusta Ada Byron, conhecida como Condessa de Lovelace ajudou o colega, Charles Baggage, no desenvolvimento da primeira máquina de cálculo, além de ser responsável pelo algoritmo que poderia ser usado para calcular funções matemáticas. O trabalho de Ada Lovelace permitiria que a máquina calculasse os números de Bernouilli.

 

Entre 1842 e 1843, ela criou notas sobre a máquina analítica de Babbage, que foram republicadas mais de cem anos depois. A máquina foi reconhecida como primeiro modelo de computador e as anotações da condessa como o primeiro algoritmo especificamente criado para ser implementado em um computador.


  

7.    Colete à prova de balas


(Foto: Blog Shoppub/Reprodução)
  

Stephanie Kwolek, em 1946, tornou-se bacharel em química pela Universidade Carnegie Mellon e recebeu o convite de Hale para trabalhar na DuPont, onde permaneceu até se aposentar, graças ao seu extenso trabalho em polímeros.

 

Kwolek se tornou química na empresa DuPont Experimental Station, Wilmington, Delaware, trabalhava no desenvolvimento de novos materiais para pneus, mais resistente que o aço, quando em 1965 inventou o Kevlar, material mais resistente que o aço, uma fibra polimérica ultra forte e extremamente leve.

 

Stephanie estava trabalhando com polímeros de cadeia estendida e ricos em benzeno, como o poli-p-fenileno tereftato e polibenzamida, de difícil dissolução. Finalmente encontrou um solvente adequando, mas a solução precisava ser aquecida à cerca de 200ºC.

 

A solução obtida era distinta de uma solução típica de polímeros, próximas a um xarope, a solução obtida por Kwolek era aguada e opalescente, isso fez com que o responsável pela fiação se recusasse à fia-la.

 

Crente que aquela solução era um novo material, Stephanie Kwolek filtrou a solução, mas ainda houve recusa, quando pediu para fiar. Alguns dias depois, o responsável pela fiação, resolveu fiar a solução aguada e para surpresa ela girou, o fio era muito forte e muito duro, diferente de qualquer material já visto.

 

O polímero de cristal líquido criado por Kwolek é cinco vezes mais forte que o aço, mais leve e apresenta bom desempenho em altas temperaturas, contudo perde propriedades em contato com água ou umidade.

 

Hoje, o Kevlar é usado em coletes à prova de balas, em roupas esportivas e em pneus resistentes a furos.


  

8.    Telecom

 

(Foto: Blog Shoppub/Reprodução)

 

Shirley Ann Jackson foi a primeira mulher negra a conseguir um PhD em física nuclear no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), em 1973.

 

Durante a sua infância, as escolas dos Estados Unidos ainda eram segregadas, o que impediu que Shirley tivesse acesso à escolas de qualidade. Na faculdade também encontrou barreiras raciais e era evitada até pelas outras mulheres. Mas a determinação de Shirley permitiu que ela concluísse seus estudos e conquistasse seu doutorado.

 

Trabalhou durante 15 anos nos Bell Laboratories, onde seus experimentos em física permitiram avanços nas telecomunicações. Seu trabalho permitiu que o fax portátil, o telefone com toque por tom, células solares, cabos de fibra ótica e a tecnologia por trás da identificação de chamadas e chamada em espera fossem criados.

 

Fontes:

- Ciências e Engenharia

- Conheça Ada Lovelace, a 1ª programadora da história

- As invenções de Maria Telkes no estudo da energia solar

- Conheça Hedy Lamarr, a atriz de Hollywood que inventou o Wifi

- Maria Beasley – Bote salva-vidas (1882)

- Mulheres Históricas: conheça a história de Grace Hopper, a "vovó do COBOL"

- Grace Hopper: a mulher que ajudou humanos e máquinas a conversar

- Dia da cerveja: história comprova que cerveja foi criada e desenvolvida por mulheres


INBEC

Pós-Graduação

Educar, formar e preparar Profissionais dentro das normativas aplicáveis ao ensino superior.