Gustave Eiffel e a historia por trás da Torre, prevista para ser destruída 20 anos após sua construção



Gustave Eiffel e a historia por trás da Torre, prevista  para ser destruída 20 anos após sua construção
(Fotos: Engenharia E e França Turismo)


Alexandre Gustave Eiffel nasceu em 15 de dezembro de 1832 em Dijon (interior da França), no seio de uma família abastada de origem germânica. O seu pai era um oficial militar casado com uma herdeira de indústrias de madeira e de minas de carvão.
 

 

Em 1852, entrou na Escola Central de Artes e Ofícios de Paris para estudar Química, onde obteve resultados brilhantes. Após ser diplomado como Engenheiro Químico, se interessou pela Metalúrgica, tendo, em seguida, a oportunidade de trabalhar neste setor graças às relações e aos contatos de sua mãe. Terminou sendo empregado por Charles Nepveu, um engenheiro construtor de máquinas a vapor que também fabricava material para as linhas de ferro.  

 

Por conta do progresso da Metalurgia, a Construção Metálica teve nesta época um grande impacto. Seu interesse pelo novo material, o aço, crescia desde os tempos da graduação e aumentou ainda mais devido à notável resistência deste metal às novas exigências da Construção Civil de seu tempo.
  

 

Em 1857, Gustave Eiffel tornou-se chefe do gabinete de estudos e projetos da Pauwels e Cia. Seu primeiro grande projeto foi a construção da Ponte de Bordeaux (mais de 500 metros), quando tinha apenas 25 anos de idade.

 

A partir de então, ele se encarregou do projeto de várias outras pontes da região Sudoeste do país. Gustave Eiffel terminou se instalando em fins de 1866 a oeste de Paris. Em 1867, criou sua própria empresa e começou a realizar diversas construções que aumentaram sua reputação na França e no mundo todo. Aperfeiçoou suas inovações técnicas, especialmente durante a montagem das chamadas consolas, ou cantilevers.

 

Durante as décadas de 1870 e 1880, a empresa Eiffel encontrou seu apogeu. As obras de construção eram cada vez mais complexas e realizadas com brio (podemos citar, particularmente, a Estátua da Liberdade, em Nova Iorque, cuja estrutura que sustenta o peso da escultura de Bartholdi, foi toda elaborada por Gustave Eiffel).

 

Trabalhou para várias companhias de estradas-de-ferro, não só na França como no mundo inteiro. Associado a Théophile Seyrig, construiu o Viaduto da linha Commentry-Gannat e a partir de 1872 começaram a surgir propostas de outros países. São exemplos a Estação Ferroviária de Budapeste (Hungria, 1877) e a audaciosa Ponte D. Maria Pia sobre o Douro, no Porto (Portugal, 1875-77), que lhe conferiu fama internacional em Estruturas Metálicas. Até então, as únicas experiências com o aço como estrutura principal de construções de grande porte havia sido as pontes de Thomas Paine, no final do século XVIII.


Para além destas importantes obras que asseguraram grandemente a publicidade da empresa, Eiffel realizou a Estrutura Metálica de muitos edifícios, a Sinagoga da "Rue des Tournelles" em Paris, fábricas de gás, a loja "Le Bon Marche" e a sede do "Crédit Lyonnais", em Paris.

 

Foi desenvolvendo projetos para Estruturas Metálicas em outros países que ele concebeu o Farol de Salinópolis, no Pará (Brasil), com 50 m de altura, formado por um tubulão central e estais laterais, cuja construção contou com a participação de outro engenheiro francês. Da mesma forma, ele projetou o Farol de São Tomé, em Campos dos Goytacazes, estado do Rio de Janeiro, inaugurado em 29 de julho de 1882, em homenagem ao aniversário da Princesa Isabel.


Associada aos trabalhos de Gustave Eiffel, encontramos, obviamente, a realização do que se tornou o símbolo da França: a Torre Eiffel. Apesar das vigorosas críticas, o sucesso aconteceu imediatamente e a torre sobreviveu, embora, inicialmente, estivesse prevista para ser destruída 20 anos após sua elaboração. Gustave Eiffel era um homem apaixonado pela ciência e também amava fazer experiências, particularmente em Meteorologia e Aeronáutica.

 

Famoso principalmente como engenheiro, seu espírito científico era menos conhecido, ainda que estivesse presente no seu trabalho de Engenharia. Em 1909, por exemplo, construiu um túnel de vento aerodinâmico no Campo de Marte, que foi deslocado em 1911 para o 16º bairro onde seria construído um laboratório de pesquisa mais importante.




A Torre Eiffel

 

O auge da sua carreira aconteceu quando construiu sua obra mais célebre: a torre de 300 metros de altura à qual foi atribuída o seu nome. Símbolo do país, esta obra, inicialmente, não estava prevista para durar. A data chave associada à história da Torre Eiffel é inegavelmente a Exposição Universal de 1889. Na ocasião do centenário da Revolução Francesa, um grande concurso havia sido organizado, tendo como tema a “possibilidade de erguer sobre o Campo de Marte uma torre de ferro, de base quadrada, com 125 metros de largura e 300 metros de altura”. Dos 107 projetos apresentados, o de Gustave Eiffel foi o escolhido. Ele tinha a seu lado Maurice Koechlin e Emile Nouguier como engenheiros e Stephen Sauvestre como arquiteto.

 

O projeto fez surgir, na época, numerosas críticas que apontavam a Torre como uma ameaça à estética da cidade, através da carta de “Protesto dos Artistas contra a Torre do Sr. Eiffel”. Uma torre de ferro erguida em pleno coração de Paris não convinha, segundo eles, por contrastar demasiadamente com a elegância e a beleza refinada da cidade. Verlaine, por exemplo, apelidou a Torre Eiffel de “esqueleto de Beffroi” para descrever a aparência pouco graciosa do monumento, uma torre gigante que iria “desfigurar” a cidade.

 

A frágil e delicada torre de ferro foi erguida apesar dos protestos. Os trabalhos duraram dois anos e se desenrolam em três etapas: a construção do primeiro andar, terminado em 1° de abril de 1888; a construção do segundo andar, terminado em 14 de agosto de 1888 e por fim, a montagem definitiva até o topo da torre, em 31 de março de 1889, quando o monumento foi inaugurado. Gustave Eiffel subiu os 1710 degraus da torre, que nesta época tinha 312 metros de altura, para colocar no seu topo a bandeira tricolor de seu país.


 
Para assegurar a imortalidade da sua obra, deu-lhe uma utilização científica: a telegrafia sem fio e as experiências do Gerenal Ferrié, em 1902. A torre foi posta à disposição do Ministro da Guerra em 1903. Em 1934, a Torre Eiffel serviu de antena à 1ª emissão de televisão do mundo.


Quando foi inaugurada, pesava mais de 7 mil toneladas. Estima-se que hoje passe das 10 mil toneladas. Em 2009, o monumento ganhou uma redefinição em sua silhueta, além de uma reforma na plataforma panorâmica do último andar e o aumento da área acessível ao público, de 280 para 580 metros quadrados. Anualmente, quase 7 milhões de pessoas visitam a Torre Eiffel.


Depois de aposentado como construtor, Gustave Eiffel continuou trabalhando, mas desta vez na construção de um atlas meteorológico e depois em experiências na área da Aerodinâmica. Faleceu a 28 de dezembro de 1923, em Paris. Foi sepultado no Cemitério Levallois-Perret, deixando-nos uma extensa e importante obra.



Fontes:


Thamiris Treigher

Editora de Conteúdo.

Educar, formar e preparar Profissionais dentro das normativas aplicáveis ao ensino superior.