IBGE disponibiliza mapas temáticos do Censo Agro em plataforma digital



IBGE disponibiliza mapas temáticos do Censo Agro em plataforma digital
(Foto: Licia Rubinstein / Agência IBGE Notícias)
 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) lançou o caderno temático Geografias da Agropecuária Brasileira – Uma Visão Territorial dos Resultados Preliminares do Censo Agropecuário 2017, do Atlas Nacional Digital 2018. Com mapas, gráficos e textos explicativos sobre os temas pesquisados nos Censos Agropecuários de 2006 e 2017, o produto aborda a dinâmica espacial da agropecuária brasileira, buscando entender os processos de reorganização do espaço do país.


São 52 pranchas, 151 mapas e 135 gráficos com os principais resultados preliminares do Censo Agro divulgados em julho passado. “Trabalhamos temas como o tamanho dos estabelecimentos, internet no campo, o uso de agrotóxico, escolaridade e idade do produtor rural, a distribuição dos principais produtos agrícolas, mapeando em escala municipal”, explica Marcelo Delízio, da coordenação de Geografia do instituto.




Caderno temático traz 52 pranchas com mapas, gráficos e textos elaborados a partir dos dados preliminares do Censo Agropecuário 2017

O caderno faz parte do Atlas Nacional Digital e também está disponível numa plataforma geográfica interativa, que disponibiliza o conteúdo em PDF e em geosserviços.


 

Delízio destaca que outros recortes territoriais também são analisados, como a região do Semiárido, onde ocorreu mais de 70% do aumento da área ocupada com sistemas agroflorestais. Já o ambiente interativo permite que se associem outras informações aos mapas, como camadas com a distribuição de ferrovias, hidrovias, rodovias: “podemos visualizar se há, por exemplo, uma ferrovia ao longo de um eixo agrário”, explica o pesquisador.

 


“Esperamos que estudantes, pesquisadores, gestores públicos e o terceiro setor utilizem bastante essas análises. O que buscamos foi mostrar como o território brasileiro se diferencia conforme as variáveis que o censo disponibilizou”, conclui Delízio.



  

O que é o Censo

O Censo Agropecuário investiga informações sobre os estabelecimentos agropecuários e as atividades agropecuárias neles desenvolvidas, abrangendo características do produtor e do estabelecimento, economia e emprego no meio rural, pecuária, lavoura e agroindústria. Tem como unidade de coleta toda unidade de produção dedicada, total ou parcialmente, a atividades agropecuárias, florestais ou aquícolas, subordinada a uma única administração (produtor ou administrador), independentemente de seu tamanho, de sua forma jurídica ou de sua localização, com o objetivo de produção para subsistência ou para venda.

 


O Censo Agropecuário foi realizado pela primeira vez em 1920, como parte integrante do Recenseamento Geral. Na década de 1930, não ocorreu por motivos de ordem política e institucional. A partir de 1940, o levantamento foi decenal até 1970 e passou a ser quinquenal posteriormente, realizando-se no início dos anos de final 1 e 6 e referido aos anos de final 0 e 5.


 

No Censo Agropecuário 1995-1996, as informações foram referidas ao ano-safra (agosto de 1995 a julho de 1996). No Censo Agropecuário 2006, a referência dos dados voltou a ser o ano civil. A edição de 2006 caracterizou-se tanto pela inovação tecnológica introduzida na etapa da operação de campo, com a substituição do questionário em papel pelo questionário eletrônico desenvolvido em computador de mão, o Personal Digital Assistant - PDA, quanto pelo refinamento metodológico, especialmente no que diz respeito à reformulação de seu conteúdo e à incorporação de novos conceitos. Nessa edição, também foi implementado o Cadastro Nacional de Endereços para Fins Estatísticos - Cnefe, que reúne, além da descrição detalhada dos endereços dos domicílios e dos estabelecimentos agropecuários, as coordenadas geográficas de todos os domicílios e estabelecimentos (agropecuário, religioso, de ensino, de saúde e de outras finalidades) da área rural, o que traz subsídios ao planejamento de futuras pesquisas do IBGE.


 

O Censo Agropecuário 2017 voltou a ter como referência o ano-safra (outubro de 2016 a setembro de 2017), porém em período distinto daquele adotado no Censo Agropecuário 1995-1996. No levantamento de 2017, foram introduzidas novas tecnologias para o controle da coleta, tais como: lista prévia de endereços, utilização de imagens de satélite nos dispositivos móveis de coleta para melhor localização do recenseador em relação ao terreno, e uso de coordenadas do endereço e do local de abertura do questionário, as quais permitiram melhor cobertura e avaliação do trabalho.


 

A pesquisa fornece informações sobre o total de estabelecimentos agropecuários; área total desses estabelecimentos; características do produtor; características do estabelecimento (uso de energia elétrica; práticas agrícolas; uso de adubação; uso de agrotóxicos; uso de agricultura orgânica; utilização das terras; existência de recursos hídricos; existência de depósitos e silos; existência de tratores, máquinas e implementos agrícolas, veículos, entre outros aspectos); pessoal ocupado; movimentação financeira; pecuária (efetivos e produção animal); aquicultura e produção vegetal (silvicultura, extração vegetal, floricultura, horticultura, lavouras permanentes, lavouras temporárias e agroindústria rural).

 


A periodicidade da pesquisa é quinquenal, porém os levantamentos de 1990, 1995, 2000, 2005, 2010 e 2015 não foram levados a efeito devido a cortes orçamentários do governo; o Censo Agropecuário 1990 não ocorreu; o levantamento de 1995 foi realizado em 1996 junto com a Contagem da População; o de 2000 não foi realizado; o de 2005 foi a campo em 2007 junto, mais uma vez, com a Contagem da População; o de 2010 não foi realizado; e o de 2015 foi a campo em 2017. Sua abrangência geográfica é nacional, com resultados divulgados para Brasil, Grandes Regiões, Unidades da Federação, Mesorregiões, Microrregiões e Municípios. Os resultados do Censo Agropecuário 2006, que têm o ano civil como período de referência, não são estritamente comparáveis aos do Censo Agropecuário 1995-1996 e aos do Censo Agropecuário 2017, cujo período de referência, em ambos os casos, é o ano-safra.

  



Curso de Engenharia de Avaliações e Perícias de Imóveis Rurais

 

 

O objetivo do Curso é desenvolver e apresentar conhecimentos e habilidades necessárias para a realização de Vistorias de Avaliação e Perícias de Imóveis Rurais, apresentando os conceitos gerais, procedimentos básicos e específicos, metodologias, aplicações, legislação e normas técnicas vigentes.

 


As aulas são desenvolvidas de forma objetiva e prática, dentro de uma perspectiva multidisciplinar, trabalhando com as diversas áreas de conhecimento envolvidas com a Engenharia de Avaliações e Perícias de Imóveis Rurais, na qual os profissionais das ciências agrárias desenvolverão abordagens inovadoras, com ênfase no senso crítico, no rigor técnico e na responsabilidade civil requerida por esse tipo de atividade.

 


Por se tratar de um curso multidisciplinar, pode ser feito por profissionais e estudantes de todas as áreas do conhecimento.


 

Veja as opções para começar uma Especialização em Arquitetura ou Engenharia.

 

 

Fonte:

- Agência IBGE Notícias

- IBGE

    


INBEC

Pós-Graduação

Educar, formar e preparar Profissionais dentro das normativas aplicáveis ao ensino superior.