O que são os ODS?



O que são os ODS?

Imagem: SESC -RS/Reprodução




Entenda quais os significados por trás da sigla – e a importância dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável para o sucesso das empresas



Para entender o que é ODS e qual a sua importância, é preciso voltar no tempo – ou, mais precisamente, a 1992, ano em que aconteceu o maior encontro de discussão sobre sustentabilidade e desenvolvimento sustentável do mundo: a ECO-92, no Rio de Janeiro.


Antes mesmo de existir os ODS, o evento gerou a Agenda 21, documento em que os governantes dos países participantes se comprometeram a agir de forma coordenada para solucionar um conjunto de problemas ambientais. Com isso, também surgiram a Convenção sobre Diversidade Biológica e a Convenção sobre Mudanças Climáticas.


Essas iniciativas deram origem mais tarde ao Protocolo de Kyoto, um tratado internacional com o propósito por partes dos países membros de reduzir a emissão de gases produtores do efeito estufa, que causam o aquecimento global. Anos mais tarde, surgiram os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).


O que é ODS?


Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são um conjunto de 17 metas que foram estabelecidas na Assembleia Geral das Nações Unidas. Esses objetivos fazem parte de uma agenda mundial para a construção de políticas públicas que guiem o desenvolvimento das sociedades até o ano de 2030.


Os ODS foram adotados pelos 193 países que compõem as Nações Unidas, em que os governantes se responsabilizaram em aderir a uma política global nova e que fosse condizente com as demandas de desenvolvimento sustentável que se tinha naquele momento.


Por que os ODS foram criados?


Após o ECO-92, outros eventos com propósito de discussão sobre pautas de desenvolvimento sustentável foram realizados. Até que no ano 2000, uma reunião foi feita para a criação dos “Millennium Development Goals (MDGs)”, ou “Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM)”, em português, em que se incluía:


  • Acabar com a fome e a miséria;

  • Educação básica de qualidade para todos;

  • Igualdade entre sexos e valorização da mulher;

  • Reduzir a mortalidade infantil;

  • Melhorar a saúde das gestantes;

  • Combater a AIDS, a malária e outras doenças;

  • Qualidade de vida e respeito ao meio ambiente;

  • Todo mundo trabalhando pelo desenvolvimento.


Esses oito objetivos foram colocados no ano 2000, e os resultados seriam analisados somente em 2015. Dentre alguns desses resultados, é possível destacar 1,9 bilhão de novas pessoas com acesso a água encanada potável desde 1990. 


ECO-92, no Rio de Janeiro: evento gerou a Agenda 21, em que governantes dos países participantes se comprometeram a solucionar um conjunto de problemas ambientais. (Gamma-Rapho/Getty Images - Exame/Reprodução)



Além disso, outro impacto positivo foi a redução da quantidade de crianças fora da escola no ensino primário, que passou de 100 milhões no ano 2000, para 57 milhões em 2015. A taxa de pobreza nos países em desenvolvimento caiu de 47% para 14%, entre 1990 e 2015.


Após as conclusões do relatório dos ODM e o sucesso alcançado com a iniciativa, os países se reuniram novamente para propor a criação dos ODS, visando continuar trabalhando no desenvolvimento de novos objetivos alinhados aos anteriores, mas com as atualizações do contexto mundial atual.



Quais são os ODS?


No ano de 2012, foi realizado o evento Rio+20, em que as nações começaram a formular as novas iniciativas que seriam adotadas pelos países a partir do ano de 2015, com os objetivos que seriam novamente analisados em 2030.


Desse modo, a Agenda 2030 tem como base os “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)”, da Organização das Nações Unidas (ONU). Um dos princípios dos ODS é que a erradicação da pobreza é fundamental para o desenvolvimento sustentável, além de ser também o maior desafio global a ser alcançado.