Entenda o conceito e as vantagens do Ensino Híbrido



Entenda o conceito e as vantagens do Ensino Híbrido



A educação no país está passando por transformações importantes. Cada vez mais o modelo tradicional de ensino vai ficando no retrovisor e novas formas de se impulsionar o aprendizado surgem. 


Com o avanço também de novas tecnologias e o amplo acesso a elas, educadores estão cada vez mais focados em criar novos métodos e práticas pedagógicas visando a melhoria das instituições e, consequentemente, da educação do país como um todo. Uma dessas inovações no meio educacional é chamado de ensino híbrido, uma modalidade que une os benefícios do ensino presencial com o ensino a distância.


Hoje, o ensino híbrido é considerado uma das grandes apostas para o futuro da educação. Unindo o ensino presencial com o ensino remoto, é possível utilizar o máximo do potencial de cada uma dessas modalidades e fazer com que o aluno aprenda muito mais. Confira o que é o ensino híbrido, alguns benefícios dessa metodologia e exemplos de aplicação neste artigo.


E se o ensino híbrido une práticas do ensino presencial com o EAD, que tal aprender um pouco mais sobre as tendências do ensino a distância para o futuro próximo?




O que é Ensino Híbrido?



Um ponto chave para educadores, hoje, é entender que o processo de aprendizado de cada pessoa é diferente. Isso não significa, é claro, que um seja melhor que o outro, mas apenas que pessoas aprendem de formas diferentes, em velocidades diferentes e em níveis diferentes. Considerando essas particularidades de cada indivíduo, é claro que a forma de ensinar não pode ser a mesma para todos os alunos, certo? É aí que entram as novas metodologias pedagógicas como o ensino híbrido.


O termo híbrido diz respeito a algo que seja proveniente da mistura de dois ou mais elementos distintos. No caso do ensino híbrido, esses dois elementos seriam o ensino presencial e o ensino a distância.


Basicamente, o ensino híbrido é uma metodologia de ensino que acredita que pode-se utilizar a tecnologia e as aulas online como ferramentas de suporte ao ensino, de modo a potencializar o aprendizado de cada aluno, mas sempre utilizando o EAD de forma complementar ao ensino presencial.



Como e onde surgiu o ensino híbrido?


Curiosamente, por mais que seja pouco falado, o ensino híbrido não é uma ideia nova. A ideia dessa metodologia surgiu nos Estados Unidos, com o termo blended learning e pode ser datada até os anos 1960. 


Nessa década realmente começou a utilização de tecnologia na sala de aula, substituindo, em partes, o protagonismo do professor ou instrutor. Porém, até meio dos anos 1990, computadores e outros dispositivos tecnológicos eram muito caros, então, o modelo se tornava um tanto quanto insustentável. Com o avanço da criação e acesso a tais tecnologias, como a invenção do CD ROM e a disseminação da internet rápida, a utilização delas em sala de aula passou a ser intensificada cada vez mais.


No Brasil, o ensino híbrido sempre foi mais utilizado no Ensino Superior, nível educacional no qual o EAD já é mais consolidado, mas, aos poucos, algumas escolas de ensino básico também vêm estudando a aplicação dessa modalidade educacional.



Quais as vantagens do ensino híbrido?


Até hoje, a educação no Brasil tem muito enraizada a cultura da sala de aula tradicional, na qual o professor se coloca na frente da sala física e todo o ensino e aprendizado se dá naquele espaço. Porém, como já foi dito, as pessoas não aprendem da mesma forma, certo?


O modelo tradicional de educação coloca o foco e o protagonismo no professor, e uma das principais premissas da educação a distância e do ensino híbrido é que o aluno deve ser protagonista do próprio processo de aprendizado. No ensino a distância, o estudante pode realizar as tarefas no seu próprio tempo, no seu próprio ritmo e da maneira que acredita ser mais eficiente. É nesse momento que a tecnologia é uma grande aliada, afinal, o aluno pode utilizar de computadores, smartphones ou tablets para pesquisas, para assistir videoaulas e até mesmo para jogos educacionais. A autonomia do estudante é altamente valorizada e estimulada.


Porém, até mesmo com todas essas vantagens, o ensino a distância também tem seus próprios obstáculos. Por exemplo, como não há interação presencial com um professor ou instrutor, pode ser que os alunos encontrem dificuldades em tirar dúvidas ou realizar alguns exercícios. Também não há interação com colegas, um fator extremamente importante não só para o aprendizado, mas para o crescimento pessoal dos alunos.


É por isso que o ensino híbrido aposta na mistura entre o ensino online e o offline, ou seja, o presencial e a distância. Dessa forma, é possível utilizar as melhores partes de cada um desses modelos voltados para um único objetivo: potencializar o aprendizado dos alunos e melhorar a qualidade da educação.




Modelos de ensino híbrido


O termo ensino híbrido é um termo amplo. Dentro dele existem alguns modelos diferentes: rotação por estações, laboratório rotacional e sala de aula invertida. Alguns desses modelos ainda preservam várias características da educação tradicional e são chamados de modelos sustentados, outros modelos vão romper totalmente com a educação normativa e são chamados de modelos disruptivos. Veja algumas características de cada um desses modelos:



Rotação por estações


No modelo de rotação por estações, o espaço da instituição é dividido em estações de trabalho e cada uma delas tem um objetivo específico, ainda que direcionadas para o objetivo central da aula. A ideia é que os alunos circulem entre as estações diferentes, aprendendo partes da lição em cada uma delas. Como estamos falando de ensino híbrido, essas estações, em geral, são montadas com ferramentas tecnológicas típicas do ensino a distância, como vídeos de demonstração ou pequenas vídeo-aulas.


Nessas estações os alunos possuem autonomia para circular e aprender no seu próprio tempo. É importante ressaltar, porém, que essas estações precisam ser independentes umas das outras, ou seja, complementares mas não de uma forma que o aluno precise de passar por uma estação para ter o entendimento da outra.



Rotação individual


Há também uma variação chamada de rotação individual, na qual o roteiro de rotação entre estações é pensada para cada aluno, pensando em suas dificuldades e necessidades.



Laboratório rotacional


O laboratório rotacional propõe que os alunos alternem entre dois espaços, sendo um deles um laboratório com equipamentos de informática.


No laboratório os estudantes utilizam das ferramentas tecnológicas para complementar o que será ensinado em outro espaço, podendo ser uma sala de aula tradicional, um laboratório ou até mesmo um espaço externo (quadra esportiva, por exemplo).


Da mesma forma que funciona a rotação por estações, as lições devem ser pensadas de forma a que exista um tempo específico para os alunos estarem em cada ambiente e que as lições passadas em cada ambiente sejam complementares.



Sala de aula invertida


A sala de aula invertida é um modelo que rompe bastante com a premissa da educação tradicional. Como o nome sugere, é um modelo que inverte a lógica da sala de aula, ou seja, os alunos aprendem novos conteúdos em casa, por meio do ensino a distância, e utilizam o espaço da sala de aula para fixação, tirar dúvidas e fazer exercícios.


Nesse modelo o EAD é extremamente utilizado, especialmente as videoaulas. Afinal, como os novos conteúdos são passados remotamente, uma forma muito utilizada para facilitar o ensino é por meio dos vídeos online.


Aqui, o aluno tem um contato com a matéria antes de ter contato com o professor, então, quando ele está fisicamente na presença dos instrutores, já tem uma ideia bem melhor do assunto e de quais são suas dúvidas. Esse modelo é extremamente benéfico tanto para aluno quanto para professores, pois aumenta o rendimento em sala de aula, algo que é muito importante, especialmente em aulas curtas – cerca de 50 minutos.




Em geral, todos os três modelos dentro do ensino híbrido visam estimular a autonomia e independência dos alunos, colocando-os como protagonistas de seu próprio processo de aprendizado. Então, além de benefícios no próprio ensino, é possível dizer que esse modelo também estimula o crescimento pessoal e profissional dos alunos.




Videoaulas para o ensino híbrido


Uma das razões pela qual o ensino a distância está em ampla expansão no Brasil é o avanço de ferramentas tecnológicas no ensino. Há cada vez mais investimento em ferramentas como plataformas de cursos online e formas de se melhorar a experiência do estudante EAD dentro dessas plataformas.


No ensino híbrido, o momento em que o aluno não está em uma sala de aula presencial é tão importante quanto o que ele está, então, o ensino deve ser pensado especialmente para o método remoto também. A utilização de vídeos deixa o ensino mais dinâmico, mais atrativo e auxilia no aprendizado dos alunos.


A instituição pode, inclusive, investir na gravação de aulas e utilização de uma plataforma profissional de cursos online que seja segura e tenha ferramentas extras. Assim, garante que a experiência dos alunos seja a melhor possível, tanto dentro quanto fora da sala de aula.


O ensino híbrido é considerado como uma das grandes apostas para a educação no século XXI e, devido ao seu modelo que une as melhores práticas do ensino presencial com as melhores práticas do EAD, pode significar uma grande revolução na forma de se ensinar e aprender de uma instituição de ensino.



Fonte:

- SambaTech


Pós-Graduação