Outubro Rosa 2019 tem como tema “Câncer de mama: juntos, sem medo”



Outubro Rosa 2019 tem como tema “Câncer de mama: juntos, sem medo”
(Foto: Outubro Rosa/Facebook/Reprodução)
 

O movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades.

 

Em 2019, a campanha do INCA (Instituto nacional do Câncer) no Outubro Rosa tem como tema "Câncer de mama: juntos, sem medo". O objetivo é fortalecer as recomendações do Ministério da Saúde para o rastreamento e o diagnóstico precoce do câncer de mama e desconstruir o medo da doença.

 

Seja na busca do diagnóstico precoce, durante ou após o tratamento, a união gera força para enfrentar as dificuldades da doença e para buscar uma vida melhor.

 

A proposta do Outubro Rosa 2019 é desconstruir o medo da doença através da divulgação de informações corretas sobre diagnóstico precoce, tratamentos e o convívio com o câncer.

 

Por esta razão, o INCA (Instituto Nacional do Câncer), lançou a 5ª Edição a Cartilha “Câncer de Mama: vamos falar sobre isso? ” revisada e atualizada com informações sobre a doença.

 

Até o final do ano de 2019, o INCA estima 59.700 novos casos de câncer de mama, em todo o país.

 

 

O Câncer


 
(Foto: Outubro Rosa/Facebook/Reprodução)
 

O câncer de mama é uma doença que acomete mulheres e homens em todo o mundo. Segundo o MS (Ministério da Saúde), é o tipo de câncer mais comum entre mulheres, depois do câncer de pele não melanoma.

 

Uma a cada três mulheres pode ser curada se o câncer for descoberto logo no início. Todo o esforço do MS é para que mulheres e familiares falem, discutam e se informem sobre a doença, para desfazer a crença de que o câncer de mama é uma sentença de morte ou um mal inevitável, ou incurável.

 

O câncer se origina da multiplicação desordenada das células mamárias, que gera células anormais, formando um tumor.

 

No mundo, a incidência de novos casos, a cada ano, corresponde a 25%. No Brasil, o índice é de 28% dos novos casos de câncer em mulheres.

 

Segundo o INCA, há vários tipos de câncer de mama. Por isso, a doença pode evoluir de diferentes formas. Alguns se desenvolvem muito rapidamente e outros seguem um ritmo mais lento, de acordo com a característica de cada tumor. O sintoma mais comum do câncer de mama é o aparecimento de um nódulo, geralmente indolor, duro e irregular.

 

Outros sintomas, como o edema de pele, dor e inversão do mamilo também podem indicar o surgimento da doença.

 


(Foto: Outubro Rosa/Facebook/Reprodução)
 

Cerca de 80% dos casos de câncer de mama são descobertos pelas próprias mulheres. Fazer o autoexame é fundamental para o diagnóstico precoce da doença. Todos os sintomas devem ser investigados através de exames clínicos e complementares. Quando detectado precocemente é possível fazer um tratamento menos agressivo.

 

O câncer de mama também acomete homens, porém é mais raro e representa menos de 1% do total de casos da doença.

 

Desde 2010 o INCA participa do movimento Outubro Rosa, com o objetivo de compartilhar informações, promover a conscientização sobre a doença, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade. O INCA é o órgão do Ministério da Saúde responsável pelo tratamento oncológico, pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

  


Causas do câncer de mama



(Foto: Outubro Rosa/Facebook/Reprodução)

Vários fatores podem contribuir para o desenvolvimento da doença. Portanto, não há uma só causa. O risco de desenvolver a doença aumenta de acordo com a idade. Mulheres com mais de 50 anos estão mais propensas a desenvolver câncer de mama.

  


Fatores de Risco

 

São vários os fatores de risco para o desenvolvimento da doença. Os fatores ambientais/sociais tais como obesidade, sedentarismo, consumo de bebidas alcoólicas e a exposição frequente a radiações ionizantes, como o Raio X, são alguns deles. Outros fatores como os genéticos/hereditários e o histórico hormonal também estão associados ao desenvolvimento da doença.

  


Tratamento


 

(Foto: Outubro Rosa/Facebook/Reprodução)

Para o tratamento de câncer de mama, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece todos os tipos de cirurgia, como mastectomias, cirurgias conservadoras e reconstrução mamária, além de radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e tratamento com anticorpos.

 

A lei nº 12.732, de 2012, estabelece que o paciente com neoplasia maligna tem direito de se submeter ao primeiro tratamento no SUS, no prazo de até 60 dias a partir do dia em que for firmado o diagnóstico em laudo patológico ou em prazo menor, conforme a necessidade terapêutica do caso.

 

É importante reforçar que, para que o prazo da lei seja garantido a todo usuário do SUS, é necessária uma parceria direta dos gestores locais, responsáveis pela organização dos fluxos de atenção. Estados e municípios possuem autonomia para organizar a rede de atenção oncológica e o tempo para realizar diagnóstico depende da organização e regulação desses serviços.

 


(Foto: Outubro Rosa/Facebook/Reprodução)
 

O tratamento do câncer de mama é feito por meio de uma ou várias modalidades combinadas. O médico vai escolher o tratamento mais adequado de acordo com a localização, o tipo do câncer e a extensão da doença.

  


Movimento Outubro Rosa


 

(Foto: Outubro Rosa/Facebook/Reprodução)

 

O movimento começou nos Estados Unidos, onde vários Estados tinham ações isoladas referente ao câncer de mama e ou mamografia no mês de outubro, posteriormente com a aprovação do Congresso Americano o mês de Outubro se tornou o mês nacional (americano) de prevenção do câncer de mama.

 

A história do Outubro Rosa remonta à última década do século 20, quando o laço cor-de-rosa, foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, em 1990 e, desde então, promovida anualmente na cidade (www.komen.org).

 

Em 1997, entidades das cidades de Yuba e Lodi nos Estados Unidos, começaram efetivamente a comemorar e fomentar ações voltadas a prevenção do câncer de mama, denominando como Outubro Rosa. Todas ações eram e são até hoje direcionadas à conscientização da prevenção pelo diagnóstico precoce.

 

Para sensibilizar a população, inicialmente as cidades se enfeitavam com os laços rosas, principalmente nos locais públicos, depois surgiram outras ações como corridas, desfile de modas com sobreviventes (de câncer de mama), partidas de boliche e etc. (www.pink-october.org).

 

A ação de iluminar de rosa monumentos, prédios públicos, pontes, teatros e etc. surgiu posteriormente, e não há uma informação oficial, de como, quando e onde foi efetuada a primeira iluminação. O importante é que foi uma forma prática para que o Outubro Rosa tivesse uma expansão cada vez mais abrangente para a população e que, principalmente, pudesse ser replicada em qualquer lugar, bastando apenas adequar a iluminação já existente.

 


(Foto: Outubro Rosa/Facebook/Reprodução)
 

A popularidade do Outubro Rosa alcançou o mundo todo, motivando e unindo diversos povos em torno de tão nobre causa. Isso faz que a iluminação em rosa assuma importante papel, pois tornou-se uma leitura visual, compreendida em qualquer lugar no mundo.

 

No Brasil, a primeira ação do Outubro Rosa que se tem conhecimento aconteceu em 2002, no parque Ibirapuera, em São Paulo: o Obelisco Mausoléu ao Soldado Constitucionalista, mais conhecido como Obelisco do Ibirapuera, foi iluminado de rosa por um grupo de mulheres simpatizantes com a causa.

 

A partir de 2008, as ações foram se tornando cada vez mais frequentes. Várias entidades relacionadas ao câncer de mama passaram a iluminar monumentos e prédios de rosa, deixando clara a mensagem: é preciso se prevenir.

 

 

Adidas lança camisas especiais em comemoração ao Outubro Rosa


Pegando carona no mês especial, a Adidas acaba de lançar camisetas rosas dos times do Flamengo e do São Paulo de futebol feminino.

 

As equipes selecionadas pela marca foram representadas por suas craques, como a jogadora da seleção Cristiane, e influenciadoras, que participaram de um ensaio fotográfico. O lançamento oficial da campanha aconteceu última sexta-feira (27).

 


(Foto: Consumidor Moderno/Reprodução)
 

O projeto aconteceu em parceria com a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA). André Campos, head de futebol da Adidas, ressaltou os objetivos da parceria com os dois clubes.

 

“O objetivo dessa parceria é despertar a atenção dos torcedores para a conscientização sobre o câncer de mama e do colo do útero, duas das doenças mais comuns entre as mulheres no Brasil e no mundo. Acreditamos que o tema é relevante e é o momento de nos unirmos à FEMAMA para aumentar a rede de incentivo, apoio e cuidado a mulheres nos momentos de prevenção e tratamento das doenças”, comenta.

 

Fontes:

- INCA

- Consumidor Moderno

- Paraná Portal

- Outubro Rosa


INBEC

Pós-Graduação

Educar, formar e preparar Profissionais dentro das normativas aplicáveis ao ensino superior.