5 novidades na Construção Civil que você precisa conhecer



5 novidades na Construção Civil que você precisa conhecer

O setor da Construção Civil tem sido marcado cada vez mais pela competitividade intensa. E a expectativa é que isso só se intensifique cada vez mais nos próximos anos. Assim, obter bons índices de produtividade e eficiência é essencial às empresas. Para ajudar a conquistar isso há novidades que prometem revolucionar o setor.
 

Algumas soluções tecnológicas recém-desenvolvidas já são realidade no Brasil. Mais do que isso, permitem já começar a economizar tempo e recursos, além de aumentar a segurança.

 

Você vai ver qual é a importância de adotar a TI na Construção Civil. Afinal, a tecnologia e suas novidades podem revolucionar o que entendemos por produtividade e por eficiência.

 

Em comum, todas visam produtividade, redução de custos e rentabilidade elevada.

  


Internet das Coisas


 

Você já deve ter lido sobre os impactos que a Internet das Coisas (Internet of Things, em inglês) vem causando.

 

A IoT já é parte do nosso cotidiano e é empregada em uma série de aplicações. Assim, está presente desde o controle de gado na agropecuária até a gestão da cadeia de suprimentos na indústria. Na Construção Civil, a IoT vem transformando a gestão de obras.

 

Sabe como? Instalando sensores nos equipamentos é possível monitorá-los à distância. Assim, permitindo antecipar-se a falhas e minimizar prejuízos decorrentes de paralisações inesperadas.

 

Fabricantes de elevadores, como Otis, Atlas Schindler e ThyssenKrupp, já vêm utilizando essa tecnologia. A finalidade? Reduzir custo de manutenção e o tempo de paralisação dos seus equipamentos.

 


Quer outros exemplos?

 

A inserção de etiquetas para Identificação por Rádio Frequência (RFID) em canteiro de obras permite rastrear materiais e equipamentos. Assim, é possível evitar que sejam roubados ou perdidos. Esses sensores são capazes de acompanhar a vazão nas torneiras e, assim, monitorar o consumo de água.

 

Além disso, a IoT pode elevar a segurança e a produtividade dos trabalhadores no canteiro. Nos Estados Unidos, a Lettire Construction vem aproveitando essa solução. A empresa a usa para gerenciar as atividades de seus funcionários.

 

Outras duas aplicações importantes da IoT na construção são:

 

Sensores vestíveis: Permitem monitorar a fadiga dos trabalhadores e reduzir a possibilidade de acidentes no canteiro;

 

Monitoramento de estrutura: na fabricação do concreto é possível inserir sensores sem fio para monitorar a incidência de carga e eventos na estrutura. É útil em obras de infraestrutura, como pontes e viadutos, por exemplo. Nestes casos, essa tecnologia pode facilitar intervenções de manutenção. Isso poderia evitar, por exemplo, acidentes como o afundamento do viaduto em São Paulo.


    



Drones

 

 

Não é exagero dizer que os veículos aéreos não tripulados (VANTs), tiveram ótima aderência aos canteiros de obras brasileiros. É uma das novidades na Construção Civil mais comentadas dos últimos tempos.

 

Tanto é que há construtoras de diferentes portes utilizando drones para acompanhar obras. Podemos citar como exemplos Tecnisa, Swell Construções, Sabiá Residencial e Paysage.

 

Boa parte desse interesse se explica pelo custo competitivo e pela versatilidade de situações em que esse tipo de veículo pode ser utilizado.

 

É possível encontrar, no mercado nacional, drones para diferentes funções. Alguns são próprios para a captura de imagens. Outros, mais avançados, servem para análises territoriais.

 

É o caso de topografias de referenciamento, mapeamentos em alta definição e elaboração de modelagens 3D. Ou seja, os drones auxiliam até mesmo o uso de BIM para desenvolvimento de projetos.

 

Resumidamente, o uso de drones possibilita, entre outras aplicações:

 

- Monitorar o canteiro de obras para acompanhar o progresso dos trabalhos;

- Fazer um mapeamento em 3D;

- Avaliar terrenos e as condições do canteiro;

- Monitorar funcionários e verificar se eles estão usando EPIs obrigatórios;

- Inspecionar a obra e fazer monitoramento de patologias.

  


Machine Learning

 


 

Machine Learning (computação cognitiva, em português) é uma parte da inteligência artificial que permite às máquinas aprenderem. Assim, a ideia é fazer com que os softwares sejam capazes de desenvolver atividades sem programação específica.

 

Você deve estar se perguntando como isso é possível, certo?

 

Vamos simplificar um pouco para explicar. Por meio de algoritmos e Big Data, é possível identificar padrões de dados. Logo, é viável criar conexões entre eles. Assim, torna-se possível executar tarefas sem ajuda humana e de forma inteligente.

 

As aplicações da Machine Learning são infinitas. No entanto, como é uma das novidades na Construção Civil mais recentes, ainda são incipientes.

 

Um exemplo interessante é o da Smartvid.io. A empresa desenvolveu uma plataforma que agrega dados visuais do canteiro para analisá-los. Assim, gera insights sobre segurança, qualidade, uso de equipamentos e rastreamento de progresso. Dessa maneira, a inovação viabiliza a realização de inspeções digitais sem a presença de um profissional em campo.

  

 


Realidade aumentada

 

 

Esse é outra das novidades na Construção Civil que caiu no gosto de construtores e incorporadores brasileiros.

 

A Realidade Aumentada é uma espécie de extensão da realidade virtual. Essa inovação permite aos usuários caminhar por ambientes 3D. Assim, é possível visualizar e coletar informações em tempo real.

 

Mas quais vantagens essa tecnologia agrega?

 

Ela permite, na elaboração de um projeto, visualizá-lo no ambiente para verificar aspectos como dimensão e compatibilidade.

 

Além disso, a RA é um recurso valioso ao mostrar projetos arquitetônicos para clientes. Há inúmeros aplicativos e softwares baseados em realidade aumentada desenvolvidos para a Construção Civil. Veja alguns:

 

- MeasureKit: Permite interagir com objetos ou componentes de Construção pela tela do smartphone, medindo e até calculando o nivelamento de superfícies.

 

- Arki: Serviço de visualização de realidade aumentada em tempo real para modelos arquitetônicos com vários níveis de interatividade.

 

- SmartReality: Usa a câmera do dispositivo móvel para sobrepor um modelo BIM sobre plantas impressas. Assim, cria visualizações tridimensionais dos projetos. Logo, permite ampliar, visualizar projetos estruturais com um toque. Assim como permite passar pelas etapas do projeto ao longo do tempo e gravar imagens e vídeos.

 

- Augment: permite que Engenheiros e Arquitetos digitalizem plantas físicas para visualizá-las em 3D. Gratuito, possibilita aos profissionais apresentar projetos de forma dinâmica.

 

A realidade virtual pode ser útil à realização de treinamento de mão de obra, por exemplo.


  

 



Big Data

 

 

O Big Data Analytics faz parte do rol de novidades na Construção Civil. Refere-se à manipulação de quantidades enormes de informações. Mais que isso, informações capazes de compor análises, otimizar decisões de negócio, reduzir custos e aumentar eficiência.

 

Essas informações, estruturadas ou não, podem vir de pessoas, computadores, máquinas, sensores ou outros dispositivos.

 

É considerada uma das novidades devido ao seu potencial impacto nos negócios do setor. Afinal, já temos visto experiências concretas nessa área.

 

A startup NETResíduos, por exemplo, utiliza Big Data para fazer gestão inteligente de resíduos e evitar multas. Outra startup, a ZeroDistrato, combina Big Data e Inteligência Artificial para prever distratos.

 

Assim, a maior disponibilidade de informações fornecida pelo Big Data torna a tomada de decisões mais assertiva. Logo, equipes de vendas, marketing e atendimento ao cliente têm muito a ganhar. Afinal, os dados podem ser usados para conhecer melhor o cliente.

 

Assim, tendem a otimizar pesquisas de mercado, por exemplo. Tecnisa e Mac são empresas brasileiras que já utilizam soluções Big Data. E aplicam para desvendar o comportamento do consumidor.

 

Assim, são capazes de desenvolver produtos mais adequados às demandas de seu público-alvo.

 

O Big Data pode ser usado, ainda, para:

 

- Melhorar o gerenciamento financeiro e de projetos;

- Aprimorar modelagem preditiva;

- Atualizar treinamento de segurança; e

- Gerenciar contratados.

  

Fonte:

- Buildin

       

INBEC

Pós-Graduação

Educar, formar e preparar Profissionais dentro das normativas aplicáveis ao ensino superior.