X SBEAS debate temas da atualidade nas questões ambientais e de sustentabilidade



X SBEAS debate temas da atualidade nas questões ambientais e de sustentabilidade
(Foto: Facebook SBEAS/Reprodução)
 

O X SBEAS (que tem o INBEC como um de seus parceiros), primeiro a ser realizado em uma cidade nordestina, além de debater os temas da atualidade nas questões ambientais e de sustentabilidade, tem também o objetivo de abrir o leque de relações e promover a interação da Engenharia com toda a sociedade e, em especial, com diversas outras profissões que igualmente militam no segmento, tais como a Arquitetura, Biologia, Química e Direito.

 

Além desse ponto importante, pretende-se fazer o primeiro simpósio internacional na América Latina de Engenharia Ambiental. Ou seja, crê-se que, com o evento passando a ser de caráter internacional, estará aberta a porta para a criação da Organização Internacional de Engenharias Ambientais, meta de longa data e que, agora, começa a tomar forma.

 

Confira aqui a programação do X SBEA – Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental, que acontece de 08 a 11 outubro em Recife, Pernambuco.

  

 

Histórico do SBEA

 


(Foto: Facebook SBEAS/Reprodução)
 

O SBEA – Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental – nasceu na cidade de Itajaí, em 2002, através da iniciativa de docentes e alunos do curso de Engenharia Ambiental da Universidade do Vale do Itajaí. Seu objetivo consistia em estabelecer um evento que congregasse alunos de graduação e profissionais da área, facilitando a troca de experiências e a consolidação da profissão.

 

Paralelamente, também desde 2002, o Fórum de Coordenadores de Cursos de Engenharia Ambiental veio se reunindo para discutir assuntos relacionados ao ensino e ao exercício desta profissão.

 

Dentre os temas abordados nesses eventos, principal e paralelo, constam questões referentes ao perfil profissional, matriz curricular, avaliação e reconhecimento de cursos, sistema de avaliação de cursos, Sistema CONFEA/CREA, amadurecimento da profissão, consolidação do mercado de trabalho, a necessidade de organização da classe e, principalmente, a relação com o mercado e outras profissões congêneres e correlatas.

 

Nesse sentido, como resultado destes esforços, foi criada oficialmente, em 20 de maio de 2005, durante a sétima reunião do Fórum de Coordenadores, a Associação Brasileira de Engenharia Ambiental – ASBEA – que posteriormente, em 02 de maio 2012, tornou-se Associação Nacional de Engenheiros Ambientais – ANEAM, quando então, já sob a logomarca “ANEAM” realiza-se o SBEA.

 

No ano de 2015, em sua oitava edição, o SBEA foi realizado, pela primeira vez, por duas entidades de classe, a Associação Paranaense dos Engenheiros Ambientais – APEAM e Associação Nacional dos Engenheiros Ambientais – ANEAM com o apoio da Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR.

 


(Foto: Facebook SBEAS/Reprodução)
 

Esse simpósio, já agora um evento de amplitude nacional e internacional, reuniu os Engenheiros e Engenheiras, Alunos e docentes, representantes e dirigentes de entidades que congregam a categoria da Engenharia Ambiental e agora da Engenharia Ambiental e Sanitária de todo o Brasil.

 

Seguindo a tradição do SBEA, o Fórum de Coordenadores de Cursos de Engenharia Ambiental trata de assuntos relacionados às grades curriculares, problemas de reconhecimento de cursos, etc.

 

Em 2017, na Cidade de Belo Horizonte, em meio à grave crise que atingia a Nação e em especial as Engenharias, a Engenharia Ambiental Brasileira não se abateu. Realizou o IX SBEA, com apoio do Sindicato dos Engenheiros de Minas Gerais e da Universidade Federal de Minas Gerais e, pela primeira vez, em paralelo aos eventos principais, a ANEAM realizou eleição livre e democrática para escolher seus representantes a nível nacional, consolidando assim uma entidade de classe forte e participativa, focada nos grandes problemas ambientais nacionais e mundiais, ao mesmo tempo em que se transformou com a força da democracia, em uma entidade representativa e interlocutora com as diversas correntes políticas e técnicas do Brasil.

 

Contudo, o desafio não estava completo e, em julho 2018, funda-se a Federação Nacional de Entidades de Engenharia Ambiental e Engenharia Ambienta e Sanitária – FNEAS, cuja missão é congregar e aproximar as entidades associativas de Engenheiros Ambientais e Engenheiros Ambientais e Sanitaristas do Brasil sob a bandeira e espírito de uma federação, tendo por princípio fundamental unir e coordenar a nível nacional os objetivos da profissão e representá-las junto ao Sistema CONFEA-CREA e MÚTUA; a profissão se reúne em associações em 23 Estados da Federação e mais o Distrito Federal.

 

Há, inclusive, estados que têm mais de uma associação, caso do Paraná com cinco entidades e Minas Gerais com três; cresce em todo o Brasil a participação e inserção dessa importante modalidade de Engenharia em todo o Sistema CONFEA-CREA e MÚTUA e, por certo, com toda a Sociedade.

 

Nesse diapasão que se realizará o X SBEA, que com o advento da Engenharia Ambiental e Sanitária, modalidade em que se transformou a antiga cadeira de Engenharia Ambiental por força de portaria do Ministério de Educação – MEC, passará a denominar-se Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental e Engenharia Ambiental e Sanitária – SBEAS.




(Foto: Facebook SBEAS/Reprodução)
 

A cidade escolhida por unanimidade dos votos de todas as entidades que hoje se congregam na FNEAS foi Recife, hoje sede da Associação de Engenheiros Ambientais e Engenheiros Ambientais e Sanitaristas de Pernambuco – AEAMBSPE que está responsável por todos os atos de produção e realização do evento.

  


Público Alvo

 

O público-alvo é de cerca de 30.000 (profissionais pessoas de todo o Brasil e Exterior, tendo como expectativa a participação de aproximadamente 1.500 inscritos, abrangendo os próprios Engenheiros e Engenheiras Ambientais e Ambientais e Sanitários, a comunidade acadêmica, profissionais de órgãos públicos setoriais (meio ambiente, planejamento, recursos hídricos, energia, saneamento, infraestrutura de transportes, etc.), organizações governamentais e não governamentais, de profissionais de outras áreas (Direito, Medicina, Química, Biologia, Arquitetura, etc.) e de empresas e iniciativas privadas que tenham suas atividades conectadas às questões ambientais.

 

Serão convidadas entidades de classe de outras profissões, tais como OAB, CAU, CFQ, CNI, CNA, ICMBIO, IBAMA entre outras, além de órgãos das três esferas de poder da União – Ministério do Meio Ambiente, Câmara e Senado Federal, Supremo Tribunal Federal e Superior Tribunal de Justiça, Conselho Nacional de Justiça e Conselho Federal do Ministério Público, além de órgãos correlatos do Estado de Pernambuco e Estados circunvizinhos, especialmente da região Nordeste.

 

Também serão convidados diversos conselhos e órgãos representativos, tais como Conselhos de Bacias Hidrográficas, Associação Municipalista de Pernambuco – AMUPE e entidades associativas de Prefeitos de todos os Estados do Nordeste.

 


(Foto: Facebook SBEAS/Reprodução)
 

Tal propósito é de inserir definitivamente a Engenharia Ambiental e Engenharia Ambiental e Sanitária no contexto dos grandes debates nacionais ligados à sustentabilidade e consolidando o processo de integração de ações com todas as demais correntes, tanto políticas, científicas e de produção para obter-se mais e melhores resultados efetivos para a sustentabilidade.


 

Fonte:

- X SIMPÓSIO BRASILEIRO DE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA


INBEC

Pós-Graduação

Educar, formar e preparar Profissionais dentro das normativas aplicáveis ao ensino superior.